domingo, 5 de agosto de 2007

Jorge Barbosa "Prelúdio"

=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|
Jorge Barbosa (1902-1971); Cabo Verde.
=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|=|

Prelúdio

Quando o descobridor chegou à primeira ilha
nem homens nus
nem mulheres nuas
espreitando
inocentes e medrosos
detrás da vegetação.

Nem setas venenosas vindas no ar
nem gritos de alarme e de guerra
ecoando pelos montes.

Havia somente
as aves de rapina
de garras afiadas
as aves marítimas
de vôo largo
as aves canoras
assobiando inéditas melodias.

E a vegetação
cujas sementes vieram presas
nas asas dos pássaros
ao serem arrastadas para cá
pela fúria dos temporais.

Quando o descobridor chegou
e saltou da proa do escaler varado na praia
enterrando
o pé direito na areia molhada
e se persignou
receoso ainda e surpreso
pensando n'El-Rei
nessa hora então
nessa hora inicial
começou a cumprir-se
este destino ainda de todos nós.

1 comentários:

Gatti disse...

Realmente é um texto bem bonito... eu não sei como esses caras conseguiam tanta inspiração pra escrever esse tipo de coisa..!

Até mais!